1. O que São os Mascotes das Marcas
  2. Os Benefícios de Usar Mascotes
  3. 16 Mascotes Populares
  4. Como Saber Se a Sua Marca Precisa de um Mascote?
  5. O Que Você Deve Considerar ao Criar um Mascote

As marcas que usam personagens ou mascotes têm 50% mais chances de obter uma resposta emocional dos consumidores. Não se trata apenas de entretenimento: estes pequenos talismãs podem ajudar você a estabelecer um relacionamento com seus clientes, mesmo que sua empresa lide com questões financeiras ou esteja no ramo de seguros. Neste artigo, vamos explicar por que essa forma de branding é eficaz e como estabelecê-la.

O que São os Mascotes das Marcas

Os mascotes há muito são considerados um símbolo de sorte. No final do século 19, essa ideia entrou também na esfera empresarial. O mascote da marca é qualquer personagem “humanizado” que represente uma empresa em termos de marketing.

Objetos, pessoas, animais ou criaturas fictícias podem ser usados como mascotes. Estes mascotes talismãs têm uma ampla gama de aplicações: logotipos, souvenirs, ícones em sites e apps de dispositivos móveis, publicidade, entretenimento do público em eventos e muito mais.

Os Benefícios de Usar Mascotes

De acordo com a pesquisa da System1 Group, empresa britânica, anúncios envolvendo mascotes têm 37% mais chances de aumentar a participação de mercado da marca e trazer 30% mais lucro. Vamos descobrir as razões disso.

Conexão Emocional com a Marca

Por séculos, as pessoas deram qualidades humanas a objetos, plantas e animais. Os pesquisadores chegaram à conclusão de que “o mascote da marca reflete uma tendência humana profundamente enraizada de compreender o mundo por meio de objetos antropomórficos”. Simplificando, os mascotes humanizam o negócio, ajudando a encurtar o caminho para o coração dos clientes.

Comunicação Efetiva

É mais fácil para um mascote “vivo” transmitir as mensagens da empresa aos consumidores. Ele possui todas as ferramentas com que estamos habituados na comunicação: timbre de voz, gestos e expressões faciais. Além disso, o mascote pode ser usado em qualquer ponto de contato entre a marca e o cliente, desde o cadastro no site até a explicação de um serviço complexo.

Memorização

Devido aos detalhes e aos traços humanos, o cérebro do consumidor rapidamente percebe o caráter do mascote (e, portanto, da marca). Isso torna mais fácil para a marca ser reconhecida no futuro. Os personagens se tornarão reconhecidos mesmo sem outros atributos da identidade visual da marca.

Viralidade

Personagens de mascote frequentemente viram memes, paródias, provocam discussões e fazem com que usuários gerem novas versões. Tudo isso contribui para a popularidade da marca. A análise provou que o uso de mascotes no Facebook, na maioria dos casos, aumenta o envolvimento do usuário. Charmin estabeleceu um recorde: seus ursos aumentaram essa métrica em 585 por cento!

16 Mascotes Populares

De hambúrgueres e doces a pneus e sistemas operacionais, os mascotes podem ser usados para anunciar uma variedade de produtos. Vamos contar as histórias por trás dos mais famosos talismãs das marcas.

Boneco da Michelin (Bibendum)

No final do século XIX, os irmãos fundadores da empresa Michelin foram à uma exposição e lá, uma pilha de pneus em forma de homem, chamou a atenção deles. Mais tarde, o cartunista O’Galop personificou esta imagem: o Boneco da Michelin bebia, fumava e exibia um comportamento indiscreto. A inscrição “Nunc est Bibendum” (“Hora de beber”) que acompanhava o personagem, rendeu a ele um segundo nome: Bibendum.

Na década de 1920, o Boneco da Michelin tornou-se mais amigável e parou de beber. Há mais de cem anos, este mascote representa os dois produtos da Michelin: os pneus e o famoso guia de restaurantes.

Boneco da Michelin (Bibendum)

Mr. Clean (Mr. Proper)

Em 1957, a Procter & Gamble pediu ao artista Richard Black para criar um mascote: algo que mostrasse as habilidades “mágicas” do detergente. Ele então desenhou um homem careca e musculoso com um brinco na orelha, todo vestido de branco. As propagandas com esse personagem ganhou enorme popularidade e seis meses depois, o Mr. Clean se tornou o detergente mais vendido nos Estados Unidos.

Mr. Clean (Mr. Proper)

M&M’s

Na década de 90, a outrora popular marca M&M’s estava em crise devido à crescente concorrência. Eles tinham um orçamento de marketing limitado. Assim, a agência de publicidade ofereceu uma solução simples – fazer de cada doce um personagem de comédia: o vermelho sarcástico e o amarelo descuidado. Esses mascotes se tornaram lendários e devolveram à empresa sua popularidade mundial.

M&M’s

Haribo

Os ursos eram mascotes tradicionais nas feiras na Europa. O empresário que projetou os doces em forma de urso queria que eles fossem associados ao entretenimento. Esta se revelou uma excelente ideia e, desde os anos 1920, os doces realmente começaram a ganhar popularidade em todo o mundo. O Goldbear (um urso amarelo com uma gravata borboleta vermelha) apareceu como mascote da marca apenas em 1989.

Haribo

Duracell

A marca lançou uma campanha publicitária com coelhos rosa em 1973. Os coelhos competiam entre si em percussão, corrida ou futebol. O vencedor era aquele que mais durava, que tinha a bateria Duracell. E em 1989, a concorrente da empresa, Energizer, criou um anúncio semelhante com um personagem semelhante. O litígio entre as marcas continuou por vários anos, resultando no processo da Energizer contra a Duracell pelo direito da marca comercial no Canadá e nos Estados Unidos.

KFC

O Coronel Sanders, o fundador da KFC, tornou-se a imagem da empresa nos anos 50. No entanto, no século 21, descobriu-se que muitos americanos não reconheciam o mascote da marca. Para remediar a situação, a KFC lançou uma poderosa campanha publicitária. O Coronel Sanders se tornou o herói dos populares programas de TV, jogos online, quadrinhos e até dublou um navegador GPS com dicas como: “Há um buraco na estrada logo a frente. Eu o encheria com molho.”

KFC

Burger King

Um dos mascotes mais estranhos da história do branding foi um personagem vestido como um rei que apareceu pela primeira vez nos anos 50. Desde então, ele mudou várias vezes, passando de um personagem ao estilo desenho animado para um personagem “vivo”, com uma cabeça grande. Na década de 2000, várias campanhas publicitárias malsucedidas forçaram o Burger King a deixar o mascote de lado. Após a poeira baixar, ele voltou às telas.

Chuck E. Cheese

Em 1977, o empresário comprou uma fantasia de coiote para seu futuro restaurante “Pizza Coyote”, mas depois descobriu-se que era uma fantasia de rato. Este personagem se transformou no mascote da marca e o lugar começou a ser chamado de Chuck E. Cheese.

Chuck E. Cheese

Wendy’s

Ao escolher o nome de sua rede de fast-food em 1969, o empresário Dave Thomas optou por usar o apelido de sua filha: Wendy. Para criar um mascote, ele tirou uma foto de sua filha com duas marias-chiquinhas vermelhas levantadas. Esse mascote acompanha a rede de restaurantes até hoje.

Wendy's

Reddit

Um dos fundadores do Reddit desenhou seu mascote enquanto se sentia entediado em uma palestra na universidade. A criatura com cabeça oval achatada, orelhas redondas e uma antena foi chamada de Snoo. Ele foi apresentado como um curioso viajante do futuro. Isso combinava com o conceito de um site que foi projetado como um lugar para trocar notícias.

Reddit

Linux

A ideia de transformar um pinguim em mascote foi proposta por Linus Torvalds, o fundador da empresa que gostava muito desses animais. O mascote foi chamado de Tux. Seu nome foi inspirado na palavra “tuxedo” (traje a rigor) e na junção das palavras Torvalds e UniX (o nome do fundador e o nome da família de sistemas operacionais à qual o Linux pertence). Curiosamente, a imagem do animal, bem como o próprio sistema, possui código aberto, o que significa que ela pode ser editada por qualquer pessoa que desejar.

Linux

Pizza Hut

A maior rede de pizzarias do mundo não tem mascote oficial no momento. Porém, nos anos 70, eles usaram um personagem chamado Pizza Pete. Um simpático italiano de bigode com camisa colorida, avental, chapéu e gravata dava as boas-vindas aos visitantes em letreiros e souvenirs (copos, bolsas e bonecos).

Pizza Hut

Taco Bell

Em 1997, primeira vez o restaurante americano Taco Bell, começou a servir culinária mexicana utilizando como mascote um cachorro chihuahua em sua campanha publicitária. O animal dizia: “Eu quero Taco Bell”. Por vários anos, o personagem esteve envolvido nos comerciais da rede. Mas em 2000, a marca parou de usar o animal por causa de alegações de que o comercial discriminava os mexicanos.

NASA

Desde os anos 50, o mascote da agência espacial é o famoso cachorro Snoopy dos quadrinhos Peanuts (Minduin/Charlie Brown). Ao longo dos anos, o mascote apareceu em vários produtos associados à NASA. Mas a sua encarnação mais famosa é como o troféu do prestigioso prêmio para astronautas chamado “Silver Snoopy”.

NASA

Android

O amigável robô verde reflete a simplicidade e versatilidade do sistema operacional. O nome não-oficial do mascote é Bugdroid. Acredita-se que não tenha gênero ou nacionalidade.

Android

Pixar

Em um dos primeiros projetos do estúdio de animação, chamado “Luxo Jr.”, havia um abajur animado que era o personagem principal do curta-metragem. Desde então, ele acabou se tornando o símbolo da marca e esteve presente em todos os desenhos e animações do estúdio.

Pixar

Como Saber Se a Sua Marca Precisa de um Mascote?

As inúmeras vantagens dos mascotes não significam necessariamente que todas as empresas precisam deles. Verifique se a sua empresa se encaixa em uma destas categorias:

É focada em um público jovem. Graças a um visual moderno e amigável, um mascote pode ajudar a marca a repercutir entre os jovens consumidores. Isso é especialmente verdadeiro para empresas produtoras de salgadinhos ou doces (Haribo, Cheetos, Nesquik).

Serviços complicados. Pode ser difícil para as seguradoras, financeiras e de prestadores de serviços de TI se aproximarem do público. Os mascotes são uma boa ideia: lembre-se do cão e da lagartixa das seguradoras MetLife e Geico.

●     Uma imagem de produto pouco atraente. Pisos, louças sujas e papel higiênico não ficam muito bem esteticamente em propagandas. Mascotes como o Mr. Clean são uma alternativa.

O Que Você Deve Considerar ao Criar um Mascote

Como qualquer outra ferramenta de marketing, os mascotes não serão eficazes até que sejam desenvolvidos de forma adequada:

Escolha o tipo de mascote. Decida como você deseja apresentar a sua empresa: como um animal, um objeto, um personagem real ou fictício. Você pode criar um ícone para o design do seu mascote usando o Logaster.

Personalize. Defina as características do mascote: o que está vestindo, como se move, o que diz. Dê a ele as qualidades que refletem as características da sua empresa.

●     Concentre-se no seu público-alvo. Acima de tudo, os clientes gostam de mascotes nas quais compartilham valores comuns, com o mesmo código cultural e comportamento. As crianças são engraçadas e brincalhona e os clientes de um banco são calmos e amigáveis.

Precisa de um Mascote para a Sua Marca?

Comece desenvolvendo seu logotipo com a imagem do mascote. Para isso, insira o nome da sua empresa e a palavras-chave. Depois escolha entre dezenas de ícones

Resumindo

Para ser eficaz, procure novas maneiras de se expressar usando o personagem. Modifique ele e o utilize ao máximo. Por exemplo, crie um chatbot e um perfil para o seu mascote nas redes sociais.

Pacote Completo de Identidade de Marca

Use o criador de logotipo Logaster para lançar rapidamente sua marca. Digite o nome da sua empresa e receba um pacote de branding profissional em 60 segundos! Experimente, é fácil!

Pelo menos 3 caracteres de comprimento.